Segundo especialistas, o preventivo em meio líquido é superior ao método tradicional em diversos fatores.

 

Só para se ter uma ideia, no que se refere ao falso negativo a taxa do método convencional é de 5% a 50%.  Já no meio líquido é de 0,8%, ou seja, quase inexistente. Exames insatisfatórios, no método convencional, pode chegar até 13,6%. No meio líquido pode chegar até 0,9%.

ESPECIFICAÇÕES DE SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE

O que isso quer dizer: independente do profissional que vá colher o material, no exame convencional, há uma perda de até 80% das células, que não são transferidas para a lâmina. Perdendo muito material.

Já no preventivo em meio líquido essa perda é zero. 100% das células são encaminhadas para análise.

VANTAGENS DO MEIO LÍQUIDO

– Maior transferência de células para o preparo do exame e preservação das mesmas;

– Fixação rápida e eficiente;

– Todo o processo é mecanizado, não há interferência do ser humano. Somente o laudo é emitido pelo médico patologista;

– Eliminação do muco em massa;

– Pronta recuperação do DNA e RNA;

– Aumento da sensibilidade e especificidade;

– 100% das células coletadas são transferidas para o laudo;

– Preservação em temperatura ambiente por até 30 dias. (Não necessita refrigeração). Ou em refrigeração por 6 meses.

– Além disso, em meio líquido é possível usar o material para pesquisar diversas outras análises como DNA, clamídia, fenotipagem e genotipagem do HPV (Papiloma Vírus Humano) pelo método de PCR em tempo real, por exemplo.

COLETA DO MATERIAL

Para a paciente a coleta tradicional pode demorar até 5 minutos. E costuma causar desconforto. Normalmente se usa uma espátula em madeira.

Com o material do processo em meio líquido (é uma escovinha), esse tempo reduz para 30 segundos. E é muito menos incômodo.

RESULTADO

Laudo em até 7 dias.

DADOS CÂNCER DE COLO UTERINO NO ESTADO

Segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), em 2016 (dados mais recentes) no Estado do Espírito Santo, o câncer de colo uterino é a terceiro tipo de neoplasia que mais acomete a população feminina. É estimado 16 casos a cada cem mil mulheres.

O Câncer de colo uterino na região Sudeste é o segundo tipo de câncer que mais acomete as mulheres, cerca de 4.940 casos (2016). Só perdendo para a região Nordeste.

2016 CASOS DE CÂNCER DE COLO UTERINO

Estado – 300 diagnósticos

Capital – 20 casos

Informações: Cremasco Laboratório